3 de fevereiro de 2009

Perda

Partiu o Ser Humano, no passado mês de Dezembro, mais completo que alguma vez conheci e que tive o privilégio de amar e ser amado.

Entretanto, (h)à Vida.

3 comentários:

António Balbino Caldeira disse...

Caro Paulo

Compreendo e partilho a sua dor e o seu luto. Hei-de me lembrar da sua intenção, como já lembrei.

Quando parte alguém, a perda é irreparável: o ser não se repete. Mas continua a viver dentro dos nossos corações.

Alguma coisa que precise, tem o meu contacto no blogue DPP e também já lho deixei. Disponha.

Nunca nos vimos, mas por aqui - e além da terra que partilhamos - somos irmãos morais.

Um grande abraço.

Magude disse...

*****
Caro amigo
Os meus sentidos pêsames.
A Vida, nem sempre é justa.
A dor, a verdadeira dor, só o Senhor, dela tem sentido.
Um abraço.

zedeportugal disse...

Só agora dei pela notícia.

Lamento profundamente a sua perda.

Segundo as palavras do António Caldeira na oferta da minha disponibilidade solidária.

Um forte abraço.